21 de jul de 2008

I HAVE A DREAM EM MIM, TODOS OS SONHOS DO MUNDO




Em 1936 Jesse Owens, o garoto do Alabama, correu nas pistas da Alemanha queimando os filmes de Leni Riefenstahl e os bigodes depilados de Hitler. Quatro ouros para expulsar do estádio o frustrado aluno da Academia de Artes de Viena. Reprovado!

Em 1958 bastaram 3 minutos infernais para Garrincha desorbitar os computadores soviéticos! “Pra mim é tudo João”.

Mas onde terminam estes heróis que derrubam impérios?!

Avante Jesse, um punhado de centavos pra ganhar uma corrida de 100 jardas contra um pangaré Pé-de-pano! Um Sugarfoot que tinha medo do tiro da partida num interior perdido pulsante da América. Mané com a camisa de qualquer pequeno time do interior por uma garrafa de Pitú e uma infiltração em cada joelho.

I have a dream em mim, todos os sonhos do mundo.

Meus heróis marcham de chuteiras e sapatilhas.

A cada 4 de julho eu sou Bebeto e o silêncio do Stanford Stadium.


7D.

2 comentários:

Pedro disse...

A cada 4 julho, eu não lembro do poderio americano.
A cada 4 de julho, eu não lembro do hino americano.
A cada 4 de julho, eu só lembro do "Eu te amo".
A cada 4 de julho, eu relembro os meus prantos.
A cada 4 de julho, eu lembro que o money power pode ser derrotado pelo samba.
A cada 4 de julho, eu lembro que ainda temos chance.

Anônimo disse...

muito bom primo,
eu coloco na lista de gênios que desafiaram impérios o oscar schmidt em indianapolis no panamericano de 1888!!!! Salve Oscar!!!!!!